13 de novembro de 2013

SOBRE PRODUTOS "HYPADOS" E O NOSSO CONSUMISMO

Segundo a Wikipédia:  

Hype é a promoção extrema de uma pessoa, ideia, produto. É o assunto que está "dando o que falar" ou algo que todos falam e comentam. Geralmente é algo passageiro, como o assunto da moda. A palavra deriva de hipérbole, figura de linguagem que representa o exagero de algo ou uma estratégia para enfatizar alguma coisa.

Então, hoje vou fazer aqui no blog uma reflexão sobre o nosso consumismo e esses produtos "hypados".




Depois que a febre de blogs começou, um fenômeno novo tomou carona nos posts feitos pelas chamadas "blogueiras", as autoras dos blogs. São os produtos que viram "modinhas", "hits" entre as consumidoras e logo se espalham pras pessoas que nem nunca entraram num blog. O famoso boca-a-boca. Uma amiga mais "antenada" compra, fala com a outra, que fala com a outra.

Mas de onde saem esses produtos? Nunca ninguém viu na televisão, ou em nenhum anúncio de revista, mas eles estão lá: nos blogs conhecidos.

Só pra citar alguns hits de venda: paleta Naked, Naked 2, batons da M.A.C, PoreFessional da Benefit, Primer Potion da Urban Decay, curvex Shu Uemura, dentre uma lista enorme de produtos.

Mas será mesmo que todos eles valem a pena? Vale mesmo todo esse frisson em torno desses produtos? Minha opinião é que: nem sempre.

Em 2010, quando decidi me tornar maquiadora, comecei um consumo desenfreado de produtos de maquiagem até que chegou uma hora que minha fatura de cartão de crédito chegava na casa dos 2.000 mensais (e ela vence logo no início do mês). Tudo em produtos de maquiagem que eu-super-precisava!

Imagina que legal (só que não) começar o mês com uma fatura de 2 mil Reais já pra pagar, só de maquiagem?! Até que me dei conta de que eu não preciso ter tudo que as marcas lançam!

Depois de alguns meses pagando faturas nessa casa, eu concluí que já tinha passado da hora de parar. Agora, por que demora tanto pra gente perceber que, gente... é só mais um lançamento e nossa vida não vai mudar por isso. A gente não vai morrer se não tiver o último lançamento da M.A.C!

É tão ridículo falar isso (se minha mãe ler isso, vai pensar: não coloquei filha no mundo pra isso!), mas, gente... a gente entra num ciclo de preciso-ter-tal-coisa que parece até uma doença.

Agora, vejam vocês: eu não sou rica, nunca fui, mas, na medida do possível, posso comprar coisas que quero. Agora, imaginem vocês que existem dois extremos: gente que tem dinheiro demais e acaba comprando sem medida - e aquele monte de produto vai ficar lá, sem usar, estragando ou perdendo a graça. E gente que não tem dinheiro pra nada, mas que junta seus trocados pra comprar um batom da M.A.C dividido de 12 vezes porque-precisa-ter-um-batom-da-MAC.

É tão absurdo isso que acho que chegamos ao auge da nossa sociedade de consumo!

Me explica, gente, esse frisson em torno de uma Naked 3 que tem a embalagem quase igual a Naked 2 e as cores "mais do mesmo" da paleta 1 e da 2??? Pura estratégia de marketing!





E voltando aos produtos "hypados", penso hoje que muita coisa foi "inventada" por blogs de beleza porque, de vários desses que já comprei, diria que nem 50% é assim essas coisas.

Queeeeeeeeem aqui nunca comprou um produto de tanto ver a blogueira tal falando e depois pensou: ah, mas era só isso??? 

É lógico que opinião varia de pessoa pra pessoa. Não estou dizendo que nenhuma blogueira faz essas propagandas (na maioria das vezes, oculta) pra enganar ninguém. Mas estou dizendo que cria-se algo em torno de um produto que é apenas ok.

Gente, repito: nenhum produto hype até hoje mudou minha vida!!!!!!!! E não vai mudar a sua nem a de ninguém!

E digo mais: a gente compra muita coisa porque "fulana (do blog) falou que é legal" sem saber se a gente quer mesmo aquilo ou se precisa ou até mesmo se aquilo vai servir pra gente!

Porque existem também produtos maravilhoooooooooosos, mas que só fazem maravilhas em peles oleosas. Ou peles secas. Existem várias bases famosinhas que ficam ótimas em algumas peles e péssimas em outras. A blogueira está querendo nos enganar? Muito provavelmente não! Mas cabe a nós a avaliação do que nos convém e do que não.

Em algum momento e por algum motivo, perdemos esse senso. Vemos as fulanas usando tal coisa e queremos usar sem antes avaliar se aquilo:

- Tem a ver comigo?

- Eu preciso realmente ou tenho outros 500 produtos similares que fazem a mesma função?

- É bem bacana, mas o preço cabe no meu bolso?

- Eu vou usar mesmo ou apenas acho legal mas vai ficar abandonado no meu banheiro?

 Estou falando isso porque é óbvio que já comprei produtos porque "fulana do blog falou que era bom". E foram várias vezes. E quando fui usar.... ah, era isso? Ham... (frustração, não porque o produto fosse ruim mas porque simplesmente não era pra mim - o desapego tá aí pra isso).

O fato é que (meu lado Publicitária): não queremos comprar base, queremos comprar a pele perfeita. Não queremos comprar primer, queremos comprar a solução pras nossas imperfeições. Não queremos comprar sombra, queremos comprar o olho "baphônico".

Compramos sonhos, expectativas. O problema é que geralmente eles acabam assim que usamos o produto (e percebemos que a solução dos nossos problemas - ainda que estéticos - não está lá).

Espero que a reflexão que fiz pra minha vida possa ajudar vocês a refletirem também e a comprarem sim, mas com mais consciência.


44 comentários:

  1. Adoreeeeeeeei o post! Passei por isso qdo começou essa febre de blogs de maquiagem e comprei muita coisa, depois descobri que não tinha tantas ocasiões pra usar e vários produtos acabaram vencendo. Hj só compro o necessário, e isso serve para roupas e sapatos tb.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. serve pra tudo. só não entrei no mérito pq não é assunto deste blog, mas serve!

      Excluir
  2. escrevi um comentário enoooorme e a internet caiu! kkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  3. Brena, adorei o post. A gente compra mesmo a expectativa. Eu pelo menos compro qualquer coisa contando com a possibilidade de deixar a minha cara menos cagada de óleo. hahaha
    E é muito triste comprar, ver que a propaganda te contou para quem servia, mas não disse para quem não servia e no fim descobrir que você está no segundo grupo.
    Um dos motivos que me fizeram acompanhar o Acordei Linda ´´e exatamente esse: voccê conta pra quem não serve determinado produto/maquiagem.
    Acho digno!
    :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigada, ana!
      total expectativa. mulheres... rs

      Excluir
  4. Seu post de hoje me representa! Tenho que dar uma freada e ver o que realmente é priori na minha vida!

    ResponderExcluir
  5. Caraca Brena!!! Tava precisando muito ler um post assim. Estou na situação que descreveu: gastando horrores com coisas que não vou usar ou não terei tempo por causa da validade. Hoje mesmo comprei uma base e 6 sombras sem necessidade, só porque era uma marca que ainda não tinha mas é legal. Resultado: paguei à vista porque o cartão já passou do limite!!! Acho que vou imprimir o seu post e ler todo santo dia antes de sair de casa para não correr o risco da tentação!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. que bom, carolina!!! fico feliz em ajudar :)

      Excluir
  6. Nossa, concordo demais Brena! Quando começou a febre dos blogs de maquiagem, comprei coisa demais. Tinha vários produtos que queria comprar, mas ainda bem que não tive grana, rs. Porque hoje eu tenho "só" uma gaveta lotada de maquiagens e é mais que suficiente pra uma vida. Sério, se vc por na sua frente tudo que vc tem, acaba percebendo que não vai dar conta de usar aquilo tudo. Claro que no seu caso, que é maquiadora, é diferente. Mas eu fico imaginando que nem as blogueiras tem condição de usar tudo que ganham/compram. Eu tenho maquiagem pra variar até cansar e acaba que, no fim, tenho meus favoritos e fica muita coisa encostada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. que bom, gente! to adorando que todo mundo tá concordando.
      ponto para o consumo consciente!

      Excluir
  7. Eu super amei esse post Brena, me vi em cada frase, e realmente não vale a pena sair comprando tudo só porque fulana disse que era bom, graças a Deus eu sempre comprei muito, mas na medida do possível, nunca devi mais do que podia, mas já entrei nessa de comprar algo pq fulana dizia sempre que era bom, não gastei tanto porque meu cunhado trouxe dos USA pra mim, era uma base studio fix da MAC e eu super empolgada pra usar, não gostei do cheiro e não ficou legal em mim, tanto que prefiro de outras marcas, agora o bichinho ta aqui parado sem uso, vou fazer um desapego já!! :) Amei o post, parabéns! :) Ah e essa da naked 3 sem dúvida é estratégia de mkt!

    ResponderExcluir
  8. Eu pesquiso milhões de blogs, principalmente os que fazem críticas e análises. Dou pouco crédito aos blogs "modinha" de culto ao consumo.

    Adorei conhecer os batons matte da MAC. Prefiro, em cores, os da Contém, mas alguns da MAC são muito legais, tipo o Ruby Woo e o Please Me. Gostei de investir em produto de pele da Dior. Corretivo Prolongwear. E to querendo alguma paleta da Urban Decay apenas porque entrei em contato com uma ao vivo, usei, e adorei!

    Primer, bronzers, blushs e mil e uma coisas não dou a mínima. Até, talvez, ter dindin e conhecer pessoalmente. Por enquanto os exemplos nacionais me bastam.

    ResponderExcluir
  9. C sabe que eu concordo, porque falamos disso quase todos os dias. Adorei o post! Muito bom mesmo!

    ResponderExcluir
  10. Brenda, sempre entro no seu blog, mas nunca me deu vontade de comentar. Mas esse post está ótimo, me identifiquei super - até porque estava pensando nisso há poucos dias atrás! Hoje em dia, MUITAS marcas de cosméticos apostam na promoção do boca-a-boca, e os blogs de moda começaram a ser o melhor alvo, já que antes de comprar um produto x, muitas consumidoras querem pesquisar a respeito e saber a opinião de pessoas que já testaram. Foi assim que descobri muitos blogs que hoje acompanho. Sem perceber, ficamos expostas a uma enxurrada de propagandas - diretas ou não, sendo anunciadas ou não, ou até mesmo sendo propositais ou não - e nos tornamos muito mais consumistas sem nem perceber. Vivi isso na pele ao comprar produtos que vários blogs anunciaram / recomendaram, muitas vezes sem que eu precisasse, apenas por impulso estimulado pelo tem-que-ter-melhor-de-todos. Hoje tenho uma quantidade desnecessária de rímeis, bases e batons (esses então, vááárias cores similares, quase iguais!) que adquiri influenciada pelo que li em vários blogs. Também vi minha fatura do cartão aumentar e minha prateleira e maquiagens duplicar de tamanho, sem que tivesse a menor necessidade - e para agravar, diferente de você, não sou maquiadora profissional - tudo isso para consumo próprio! Nunca pensei que fosse cair nesta estratégia de marketing, mas isso realmente é feito de forma muito sutil, fica no nosso inconsciente. Acho ótimo você escrever um post propondo esta reflexão, pois pode parecer besteira ou futilidade, mas acho que estamos em maior número do que podíamos imaginar. Eu já havia percebido isso há algum tempo, mas pretendo lembrar deste post e desta reflexão da próxima vez que eu quiser um produto da linha "tem-que-ter".

    Beijos, Carol

    ResponderExcluir
  11. Venho acompanhando seu blog há algum tempo e hoje você arrebentou a boca do balão (tô velha, sou do século passado...rs)! É engraçado porque há pouco, depois de chegar em casa, peguei a minha coleção de sombras (é, dá para chamar de coleção, mesmo que popular) e senti exatamente que tenho maquiagem até o resto da minha vida, tirando os produtos para pele. Acho que vou fazer igual ao que sua outra leitora escreveu: ler seu post todos os dias até passar esse consumismo... Sucesso!

    ResponderExcluir
  12. Olá,
    Vejo a maioria dos blogs como negócio,tem parcerias com mil empresas e recebem os produtos para testar/resenhar.As blogueiras criteriosas são sinceras na opinião quando o que tem em mãos não é de qualidade -ou explicam para quem melhor se adequam para não desqualificar totalmente o produto.Pecamos nós por ficar procurando a solução para nossos problemas em alguns potinhos,mas mais ainda por não perceber quando é apenas propaganda.Eu tinha um blogroll infinito e fui limando o que percebi ser apenas outdoor de empresas/marcas ; que não investem diretamente no público,distribuindo amostras,ficaria caro demais .Garanto que economizam fortunas em publicidade.As blogueiras,elas "desapegam" exatamente o excesso que recebem e não usam/gostam,sem ônus.
    Eu,procuro um jeito de aproveitar tudo o que comprei e quando vejo algo que me tenta penso no que já tenho (muito) em casa e me esforço para não enfiar mais o pé na jaca - engraçado como pra mim é fácil comprar make e sapato,mas roupa,que realmente preciso,não.Vai se entender!Bjs

    PS:mas não tem como negar a qualidade da maioria dos produtos estrangeiros,se ficam legais ou são próprios para cada uma de nós,só testando.

    ResponderExcluir
  13. Ótimo post Brena! É realmente isso mesmo, há um ano tomei esta consciência também, e estou me desfazendo o que está demais na penteadeira ou simplesmente parando de comprar muitas coisas. Semana passada mesmo vendi 2 paletas e alguns produtos de make por pechincha, que farão pessoas que não tem felizes e que não vão vencer a data de validade pq não vou ter como usar tanta coisa assim.
    Um grande beijo, bom fim de semana!

    Priscila

    ResponderExcluir
  14. Falou tudo Brena.

    Viajei para os EUA em agosto e passei por este problema, comprei um monte de coisa que estão ficando de molho.
    Coincidentemente os produtos que anotei aqui do blog são os que mais me atendem. A base da Lancôme (Teint Miracle) que a Giovanna usa e indicou, é simplesmente diva, amei, por outro lado comprei uma da M.A.C. e dancei. Outros dois “modismos” que comprei e arrependo foram o PoreFessional e o rímel They’re Real ambos da Benefit, o Pore simplesmente não teve efeito na minha pele e o rímel, carérrimo, tem exatamente o mesmo efeito do The Mega Plush da Maybelline que paguei 7 dólares em um kit com dois rimeis, é pra morrer de raiva.
    Outra coisa bacana que comprei, não lembro se foi indicado por vocês, foi o primer Stay Don’t Stray da Benefit, que maravilha da make é aquela? A sombra fica firme a noite toda, vc sai da festa com cara de diva (e não de quem bebeu todas) adorei...
    Sobre a Naked 3, alguém pode explicar qual a diferença das sombras dela para as da Naked e Naked 2, pois não vi NENHUMAAAA...

    Obrigada por tudo Brena e Giovanna, adoro as dicas de vocês.

    Abraço

    Camilla Cintra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. nunca falei do stay don't stray (nem a giovanna) porque nunca usei, mas tenho uma amostrinha dele e vou testar! =)

      Excluir
  15. Fantástica reflexão que eu, inclusive, já havia feito. Quando comecei a me envolver mais profissionalmente com maquiagem achava que tinha que ter todos, assim como vc, até que me dei conta de que ser boa profissional não implica necessariamente em ter todos lançamentos ou somente os produtos mais caros, de "marca", mas em saber usufruir de muita coisa em conta obtendo excelentes resultados. Tb parei de comprar e to muito mais satisfeita com essa parada no consumismo. Mais leve!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. exatamente, andréa. tem gente que acha que ter 500 mil produtos é sinônimo de maquiar bem.

      Excluir
  16. Realmente é uma ótima reflexão alem de muito pertinente, excelente texto parabéns!!
    Não sei se é coincidência ou só o fato de que essa moda já deu o que tinha que dar mas nessas ultimas semanas alguns blogs que eu acompanho tem falado disso, do consumo consciente, do uso correto do dinheiro e tal. Não sei se posso indicar um texto mas esse aqui: http://saladamedica.wordpress.com/2013/11/10/salada-minha-casa-saude-financeira, fala de alguns pontos diferentes mas a essência é a mesma, ótimo texto também.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. vou ver. com certeza, é coincidência pq não conheço esse blog.
      na verdade, acho que tá todo mundo hoje nessa "vibe", então, digamos que não é coincidência!

      Excluir
  17. Acho que o único produto hypado que eu usei que posso dizer que mudou minha vida foram os BB creams coreanos, que eu uso to-do-san-to-di-a e me fizeram encostar as bases, já que eu não gosto da textura de base líquida/cremosa e não preciso de tanta cobertura assim no dia a dia, e mesmo assim não é algo que falem tanto na "blogosfera" nacional. Mas é, eu tenho que lembrar de controlar o consumismo - quando saem as coleções novas eu acabo ficando triste por não ter dinheiro o bastante pra comprar tudo o que eu quero das minhas marcas queridinhas.
    Eu comprava muita maquiagem quando ia viajar, mas nas últimas vezes consegui me controlar. Muita coisa que eu comprei por impulso acabou vencendo encostada por que simplesmente não era do melhor tom pra minha pele, então me informar melhor sobre maquiagem e como as cores funcionam pra mim também ajudou a controlar o consumismo. Se eu sei que aquele batom queridinho de todas as blogueiras é subtom quente e ia me deixar com cara de doente, não é sacrifício nenhum deixar pra lá.

    ResponderExcluir
  18. Ai olha...Eu comecei a curtir pesado make em 2010,coincidentemente o ano que fiz um curso de maquiagem profissional..Eu lia tudo quanto é blog,pesquisava resenhas,como eu ainda consigo viajar de vez em quando,eu compro só lá fora,pq aqui eu não tenho condições de pagar 200 pilas numa base...Posso falar? de cada 10 coisas que eu comprei,9 não eram nem metade do que falam...Juro, tentei considerar o fato cada cabelo é um,cada pele é uma...mas não bate a conta...É MUITO HYPE a they're real da Benefit é ótima,mas secou,SECOU, com dois meses de uso...minhas Maybelline secam em 10 meses.Naked? é legal, talz,mas aquela paleta de "prascu" da Vult faz o mesmo efeito..Comprei o tal de UNIQ ONE para o cabelo..Jesus amado...sem comentários,nada de especial...Sei lá,parei de comprar e tô na vibe de usar make até pra fazer faxina pra não estragar e ter jogar que fora depois.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. verdade. é assim mesmo!!!
      os meus maybelline não secam nunca. e JURO tenho um rímel da lancôme de 2010 que tá em excelente estado.

      Excluir
    2. rindo alto do seu comentário, super me reconheci no "usar make até pra fazer faxina" tipo, eu estou na mesma!

      Excluir
  19. Oi Brena, nossa, gostei muito do seu post e acredito que cada caso é um caso.
    Por exemplo quando começou a febre naked, ganhei a naked 1, que foi a que escolhi. No entanto, na mesma época conheci as sombras da inglot, que em comparação as da naked, são faladas muito menos nos blogs. Comparação: a naked esfarela um pouco e dura muito menos que a da inglot nos olhos. As da inglot tem pigmentação excelente, não esfarela, durabilidade excelente e vem mais quantidade de produto. Não acho tanta graça na naked mais…

    Outra o primer tb da urban dekay, não acho nada demais, nem o porefessional da benefit, pois não acho que disfarçam muito os poros e ainda deixa a nossa pele em alguns pontos esbranquiçadas…

    Ainda compro muita maquiagem, mas compro conscientemente do que preciso e do que poderá ficar bem em mim… sem me agarrar nos frenesi das blogueiras…

    Beijão amo o seu trabalho!!! Parabéns

    ResponderExcluir
  20. Primeira pessoa que fala uma grande verdade!

    Eu compro muito, não mais que você comprava, mas mesmo assim é muito. Não preciso disso tudo, Poderia vender todas as paletas e pigmentos, ficar com duas no máximo, que conseguiria fazer qualquer maquiagem em qualquer cliente. O problema é que queremos tudo pra nos satisfazer e às vezes nem a cliente vai perceber que vc usou isso ou aquilo de tal preço.

    Amei sua reflexão. Me ajudou muito pode acreditar! E se for pra gastar alguma coisa, que seja com base pq maquiador precisa de opção pra pele, pq paleta de mil cores todo mundo tem =)

    Beijo!!!
    www.gabrielamacedo.com

    ResponderExcluir
  21. Oi Brena, tudo bem? Acho que realmente precisamos desse tipo de post de vez em quando para cairmos mesmo na real. Porque gastamos muito com coisas que no fundo, não vão transformar nossa vida.. às vezes precisamos abdicar de um passeio legal com amigos, porque o cartão de crédito está lotado de faturas de maquiagens, como você disse, suficientes para uma vida!
    Acredito que o fator principal é a pessoa SE conhecer e ter uma identificação real do que é bom e o que não é para ela.
    Já comprei muitos produtos bafônicos por comprar e não foi tudo aquilo. Um exemplo clássico para mim: a Teint Miracle da Lancôme simplesmente deixa a minha pele pingando óleo, independente do primer que uso antes, incluindo aí o famoso Porefessional e um Bare Minerals exclusivo para peles oleosas. Claro, mas ela é uma base para noite, para eventos e eu sou muito caseira, nem vou tanto a eventos. Então, por que raios comprei uma base que não pode ir ao sol, se eu tenho a pele mega oleosa e se minhas programações são em maioria, ao dia?? Desinformação minha, pesquisar em blogs que incentivam o consumismo (e existem muitos), e não nos que estão destinados a informar.
    Como eu disse, é primordial se conhecer bem! Não me arrependo ter comprado o Primer da UD para olhos, que é o ÚNICO no mundo que segura meu delineador no lugar sem carimbar a pálpebra, devido à oleosidade da minha pele, e nem de investir meus fundos nos produtos Kerastase. Mas batons MAC nunca tive.. acho que no meu caso, os brasucas cumprem bem o papel.. e assim caminha a vida!
    Excelente post!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso mesmo, vc completou o que eu disse.
      Não é tudo que o caro funciona melhor. A gente tem que selecionar mesmo onde investir nosso $$$ suado.

      Excluir
  22. Excelente post Brena. Já fui assim c/perfumes, tinha que ter zilhões, mas me curei e hoje uso os que tenho e só reponho os 02 queridinhos que uso todo dia p/trabalhar. Agora tô no vício da make, detalhe: só p/uso pessoal. Até que erro pouco já que compro a maioria porque experimentei e gostei, então como tudo melhora (graças a Deus!) acabo "tendo" novas necessidades, claro, sempre na esperança da perfeição chegar no próximo produto. Resultado: estou c/uma gaveta mega abarrotada, que quase não fecha, e mais coisas em cima da bancada. Pratico o desapego, mas ainda assim vou ter que adotar a tática de usar make até p/fazer faxina. Rsrsrs

    ResponderExcluir
  23. Alguém que traduziu o que eu penso num ótimo texto! Parabéns, Brena!
    Realmente o consumo desenfreado e cíclico virou um fenômeno de proporções enormes, impulsionado pelos blogs. Adoro acompanhar a blogosfera, inclusive tenho um blog, mas muitas vezes falta bom senso, tanto ao público quanto às blogueiras :/

    Beijos!
    http://laizaabreu.com

    ResponderExcluir
  24. Falou e disse. Amei! Estou conhecendo seu blog agora e já fiquei fã. Rolei de rir dos post's "como não se maquiar" e agora estou mechidissima com este. Verdadeira e original. Fiquei fã.

    ResponderExcluir
  25. Lendo esse post em 2015, mas no auge do meu consumismo por cosméticos.
    Pude dar uma acordada lendo isso e ainda digo mais: As blogueiras ganham MUITOS produtos, enquanto nós, só compramos.

    ResponderExcluir

Críticas, sugestões ou dúvidas são sempre bem-vindas e respondidas aqui mesmo.

Comentários que incluem propaganda, auto-promoção, insultos não serão publicados.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.